Como fisgar os incríveis Jaús

O Jaú habita canais de rios, cachoeiras, poços profundos, junto às margens das baías. Mas, o peixe de água doce chamado Jacundá é conhecido popularmente com o mesmo nome.

Nome científico

Crenicichla lenticulata.

Distribuição geográfica

Sua espécie é distribuída em todo o Brasil.

Habitat

O Jacundá é um peixe que habita rios, remansos de rio, lagoas e represas, sempre próximos à estruturas como paus, pedras, entre outras.

Alimentação

É um peixe carnívoro, alimentando-se de pequenos peixes, camarões e outros invertebrados.

Reprodução

A fêmea do Jacundá, em época de reprodução, apresenta coloração levemente vermelha próxima à nadadeira anal. O casal de Jacundá sempre cuida da prole.

Jaú

Características

O peixe Jacundá é um peixe de escamas, com corpo alongado, boca grande, com a mandíbula um pouco maior que o maxilar superior. Sua cabeça é coberta por pintas escuras. Mas, a borda posterior do pré-opérculo é serrilhada.

Possui faixas escuras verticais nos flancos e faixa longitudinal mais escura, ao longo do corpo, que se estende do olho até o pedúnculo da nadadeira caudal, e um ocelo na parte superior do pedúnculo caudal. Possui o ventre avermelhado. Pode alcançar 40 cm de comprimento total e chegar a 900 g.

Ecologia

Espécie piscívora. Vive no canal do rio, principalmente nos poços das cachoeiras, para onde vai no período de água baixa acompanhando os cardumes de Characidae (especialmente curimbatá) que migram rio acima.

Mas, na Amazônia não é importante comercialmente, a carne é considerada “remosa”, mas é apreciado no Sudeste do Brasil. Então, a pressão de pesca pelos frigoríficos que exportam filé de jaú é muito grande e tem sido responsável pela queda da captura da espécie na Amazônia.

  • Equipamentos – Varas de ação pesada; linhas de 30 a 50 lb.; anzóis encastoados n° 10/0 a 14/0. Deve-se usar chumbo tipo oliva, com peso de 300 a 1.000g, dependendo da profundidade e força da água.
  • Iscas – Somente iscas naturais, como pequenos peixes de escama, tuvira, muçum e, também, minhocoçu.
  • Dicas – Esta espécie é capturada nos poços logo abaixo das corredeiras, principalmente à noite. É muito importante que a isca fique no fundo.

Curiosidades

Então, recomenda-se tralha pesada, pois oferece grande resistência quando fisgado. Mas, as caras são de ação pesada e extra pesada (30 a 50 lb), linhas de 50 a 80 lb e carretilhas ou molinetes que comportem por volta de 150 m; chumbadas do tipo oliva entre 200 g e 1 kg, dependendo da profundidade e força da água, pois é muito importante que a isca fique no fundo.

Assim, as iscas mais eficientes são a tuvira, muçum ou pirambóia, cascudos, traíra, piaus, piabas e minhocuçu, devendo ser iscados vivos e inteiros. Pode-se optar também por coração de boi, fígado de boi ou tripa de galinha.

Onde encontrar

Mas, apesar de escassos e de pequeno porte, em alguns pontos, como no Pantanal, ainda há ótimos locais onde podem ultrapassar 50 kg, como na região entre o Pará e Mato Grosso.

Dicas para pescá-lo

Então, para uma fisgada mais eficiente, não tenha pressa. Mas, espere o peixe colocar a isca na boca e deixe-o tomar um pouco de linha. Mas, quando sentir o peso, dê aquela puxada.