Museus de pesca no Brasil

A ideia de criar o Museu de Pesca Surgiu a partir de um projeto de estudos sobre cultura pesqueira, elaborado pelo núcleo de Estudos de Cultura Marineira (NECMA) do IPHAN em 1996. Mas, o anteprojeto de implantação de um monumento a pesca, elaborado pelo arquiteto Marcos Vilaça, em 1997.

Então, o nome do Museu é uma homenagem ao Padre Roberto Landell de Moura, o primeiro brasileiro a transmitir sinais de radio de um continente para o outro, em 1907. Ele navegava pelo Rio São Francisco a bordo do vapor São Joao.

Então, quando durante a noite enviou um sinal de 20 metros de comprimento, que foi captado pelo rádio do vapor inglês Minia, ancorado no porto de Recife.

Para visitar presencialmente o Museu

  • Ocorre quarta e domingo, as 10h as 17h;
  • Ingresso – pagamento somente em dinheiro;
  • Valor integral: R$ 6,00;
  • Meia entrada: R$ 3,00;

O Museu de pesca, por ser um espaço de memoria de uma atividade econômica que tanto marcou a história dessa cidade. Então, permitiu-nos através de um projeto de colaboração entre arquivo histórico Municipal e Universidade católica de Santos. Mas, a elaboração de um dossiê sobre a pesca com uma seleção de documentos da primeira metade do século XX.

Então, porque de visitar o Museu de SP?

Para aprender um pouco mais dessa história que começa lá no final do século 19, quando a pesca era um dos principais meios de subsistência da população santista. Mas, Santos era conhecido como “A Capital da Pesca”. Então, aos poucos, a pesca foi se perdendo com uma industrialização da cidade, que cresceu com a chegada do café.

Atrações do Museu em Santos

  • Sala dos mamíferos marinhos;
  • Sala dos tubarões;
  • Sala das tartarugas;
  • Sala das areias e conchas;
  • Sala das aves;
  • Sala do mar;
  • Sala do barco;
  • Cabine do capitão;

Cabine do capitão

Assim, essa sala simula uma cabine igual à do Capitão Padilha, as experiencia que proporcionamos buscam sensibilizar e despertar o senso crítico das crianças sobre os desafios do planeta. Então, cada espaço é pensado para que os visitantes possam criar uma história, brincar e se identificar com o tema.

Sala do barco

Os visitantes podem receber noções básicas de navegação em qualquer lugar que ofereça aulas de navegação ou em qualquer livraria que venda livros sobre o assunto.

Sala do mar

Traça um paralelo entre a diversidade marinha e a diversidade de pescadores que existem no brasil. Mas, a diversidade de pescadores é representada pelas diferentes maneiras de viver o pescador sempre envolvidos com o mar e a natureza.