Os períodos de reprodução dos peixes

Continuando nossa série sobre a reprodução dos peixes, vamos encerrar com as principais características de reprodução das espécies. Mas, é muito importante que você dê uma olhada nos outros conteúdos para assim, ter uma melhor noção sobre cada uma das informações que trouxemos.

Mas, antes de entrarmos no assunto de hoje, vamos fazer um resumo rápido sobre o que já trouxemos nos artigos anteriores. Então, de início, vamos relembrar um pouco sobre o que já trouxemos de informação, mas claro, de maneira bem resumida.

Tipos de procriação

De início, falamos sobre as maneiras que as espécies procriam e como são subdividas. E abaixo, vamos citar quais são essas maneiras de procriação:

  • Vivíparo: peixes que geram o embrião dentro do seu corpo e que desenvolvem-se junto ao organismo da fêmea;
  • Ovíparo: espécies que geram seus filhotes através de ovas, sendo que, elas deixam em um local específico para que estes nasçam;
  • Ovovivíparo: peixes que geram ovos dentro do corpo da fêmea, mas, ao nascer, os filhotes nascem em ovas;

Procriação assexual e hermafrodita

No segundo conteúdo, trouxemos tudo sobre as espécies que não precisam de outro peixe para reproduzir, esses são chamados de reprodutores assexuais. Então, trouxemos em seguida, os peixes que tem o sexo de macho e fêmea em seu organismo e de acordo com o período de reprodução definem se vão gerar ou germinar.

Período de reprodução

E hoje, vamos falar sobre as principais curiosidades sobre a reprodução das espécies de peixes. Então, vamos dar início falando sobre o período correto de reprodução das espécies.

Quando começam a reproduzir?

O período de reprodução de cada espécie varia de acordo com seu habitat, com seu tamanho e também, com sua idade de vida. Mas, em locais frios, algumas espécies como a carpa, por exemplo, só começam a se reproduzir a partir do terceiro ano de vida.

Mas, as espécies que vivem em águas quentes o período de reprodução é a partir do primeira ano de vida. Por outro lado, algumas espécies desovam somente uma vez ao ano e caso o clima não esteja bom, eles não desovam. Então, para essas espécies existem alguns trabalhos específicos para evitar a extinção das espécies.

Mas ainda existem espécies que para desovar , precisam migrar para outros locais e com isso, nadam quilômetros contra a corrente. Então, essa subida costuma ser bem árdua e cansativa e esses peixes que migram para outras águas são chamados de reofílicos.