Pintado entra na lista de peixes com risco de extinção em 2022

A cada dia que se passa, é maior a lista de animais que entram em extinção, ou correm risco de sumirem para sempre. Entre os animais que mais correm risco de extinção estão os peixes, que por conta da pesca ilegal acabam sumindo para sempre das águas do mundo todo.

Nesses últimos meses, um dos peixes mais populares do Brasil e para muitos, a cara do pantanal brasileiro entrou em risco de extinção. Mas, aqui no nosso país, temos uma regra muito rígida e específica que proíbe a pesca de animais com risco de serem extintos.

Mas, sabemos bem que essa proibição existe muito bem na teoria e a prática é totalmente diferente do que realmente é regulamentado. Então, hoje resolvemos falar um pouco sobre as espécies que entraram na lista de possível extinção no ano de 2022.

Sendo assim, já te convidamos a conhecer quais são essas espécies que infelizmente, correm um risco iminente de sumirem para sempre do mapa. Então, vamos agora começar essa lista e torcer sempre para que essas espécies não sejam extintas.

Pintado

Uma das espécies mais populares entre praticantes da pesca esportiva, infelizmente, teve seu nome incluído na lista de risco de extinção. Isso porque de acordo com os estudiosos, a população de pintados vem diminuindo bruscamente por conta da pesca ilegal e em períodos de procriação.

Então, um dos peixes mais populares do Brasil e que para muitos é a cara do Pantanal corre um sério risco de ser extinto para sempre. Mas, para evitar que isso aconteça, já foram criadas várias leis que proíbem a pesca da espécie com risco de prisão, inclusive.

E abaixo, vamos citar as espécies de peixes que também fazem parte da lista de risco de extinção em 2022:

  • Peixe das nuvens: é uma espécie natural do Ceará que corre risco de extinção por conta de aterramentos sanitários;
  • Pacu;
  • Curimatã;
  • Pirapema;
  • Aracu;
  • Bacuzinho;
  • Cascudo;
  • Acari-cachimbo;
  • Alicate;
  • Cascudo-zebra-imperial;
  • Garoupa- São Tomé;
  • Joana;
  • Canivete;
  • Ituí;
  • Myleus Tiete;
  • Surubim-do-paraíba;
  • Cambeva;
  • Matrinxã;
  • Joaninha de pedra;
  • Acari-vampiro;
  • Bagre;
  • Gurijuba;

Então, essas são as espécies com maior risco de extinção em 2022. Mas, como dissemos antes, existem várias medidas protetivas para evitar a extinção das espécies. Aliás, essas medidas já têm causado efeitos positivos.

Ainda nessa última lista que saiu no mês de junho, tivemos uma espécie que saiu da lista de risco de extinção. Então, graças ao incrível trabalho do ICMbio, as Tartarugas-verdes saíram de vez dessa lista e estão voltando a se reproduzir.